Objetivos

Objetivos

Os Objetivos Gerais para o ano lectivo 2017 estão assim definidos:

  • Promover a integração na Sociedade, do Cidadão com Deficiência Mental, no respeito pelos princípios de Normalização, Personalização, Individualismo e Bem Estar;
  • Promover o equilíbrio das famílias dos Cidadãos com Deficiência Mental;
  • Sensibilizar e co-responsabilizar a Sociedade e o Estado, nas suas várias formas, no papel que lhes cabe na resolução dos problemas do Cidadão com Deficiência Mental e respectiva família:
  • Defender e promover os reais interesses e satisfação das necessidades do Deficiente Mental nas Instituições, no Trabalho, no Lar e na Sociedade, tendo como princípios básicos:
    • Partilhar lugares comuns
    • Fazer escolhas
    • Desenvolver capacidades
    • Ser tratado com respeito e ter um papel socialmente valorizado
    • Crescer nas relações
  • Sensibilizar os pais e Famílias, motivando-os para a defesa dos direitos dos seus familiares e apetrechando-os para a assunção das responsabilidades que lhes cabem, na condução de uma perspectiva de educação permanente na escola e na família;
  • Humanizar e Normalizar as estruturas de resposta de modo a desenvolverem meios não restritivos para o Deficiente Mental;
  • Defender e promover a necessária adequação da legislação portuguesa e comunitária no sentido de serem reconhecidos e respeitados os direitos e deveres do Cidadão com Deficiência Mental;
  • Promover actividades culturais, recreativas, desportivas, de lazer e tempos livres.
  • Nessa perspectiva e tendo em conta os objetivos propostos na criação do Centro de Actividades Ocupacionais, pretende-se:
  • Proporcionar aos seus clientes, actividades socialmente úteis, de natureza artística, que vão ao encontro das suas necessidades, características, motivações e interesses que contribuam para:
    • o desenvolvimento equilibrado de todas as suas potencialidades;
    • o seu bem estar físico e psicológico;
    • a sua autonomia;
    • a sua valorização pessoal e social;
    • a sua inserção na comunidade.
  • Apoiar as famílias e envolvê-las no processo educativo e terapêutico do cliente, bem como promover a sua participação nas actividades desenvolvidas na instituição;
  • Promover a articulação com as diversas estruturas da instituição e contribuir para a rentabilização dos seus recursos humanos e materiais;
  • Sensibilizar a comunidade local para a problemática da deficiência, proporcionando participação de ambas as partes na dinâmica do centro e vice-versa, de forma a potenciar as capacidades e valorização pessoal dos clientes.